segunda-feira, 25 de agosto de 2008

A segunda chance

-Amiga, pode me ouvir?
-Lógico, baby, que que foi?
-Cara, fui fazer a unha e na volta vi que tinha uma mensagem do moço no meu celular.
-Falando o que?
-Pedindo preu sugerir algum programa além da festinha aonde íamos nos encontrar hoje.
-Esse é o mesmo que furou contigo na semana passada?
-Esse mesmo...
-Resolveu dar uma segunda chance pra ele, foi?
-Escuta.
-Sim, ele te mandou mensagem e você respondeu o que?
-Sugeri um cinema.
-E ele?
-Respondeu um minuto depois pedindo preu escolher um filme.
-E você?
-Fui no Segundo Caderno, escolhi um filme e respondi a mensagem.
-E ele?
-Não respondeu.
-Será que ele não recebeu sua mensagem?
-Foi o que pensei...
-Por que você não ligou pra ele, pra tirar a dúvida?
-Foi o que fiz.
-E?
-Ele não atendeu.
-Hummm, amiga, que péssimo.
-Pois é.
-E ficou por isso mesmo?
-Não, mais tarde ele me mandou uma mensagem.
-Menos mal...
-É.
-E qual foi a da mensagem?
-“Oi, tava dormindo. Tô indo agora pra casa dos meus coroas, já que amanhã é dia dos pais. Beijo e divirta-se!”
-Uai, mas ele não sabia do dia dos pais?
-É a pergunta que não quer calar...
-Gente, que surreal!
-Pois é.
-E você respondeu o que?
-Nada né, amiga!
-Lógico!
-Mas e aí, você acabou indo na festa?
-Sim.
-Se divertiu?
-Te falei que tô numa fase boa...
-Conta.
-Conheci um rapaz enooooorme, que ficou jogando charme pra mim na pista de dança.
-E você resolveu jogar o charme de volta, né?
-Quem não tem cão...
-Caça com gatinho!
-Hahahahahahaha!
-Pois é, neguinha, não pode dar muita importância pra esses episódios.
-É mesmo...
-Que carinha é essa?
-Tô meio sem saber o que faço.
-Essa é a hora de não fazer nada.
-Como nada?
-Nada, bela! Na dúvida, a gente mantém o charme.
-Hahahahahahaha.
-E espera...
-Mas esperar o que? Ele furar mais uma vez?
-Não querida, espera e vê se vale a pena dar uma segunda chance pra ele.
-Terceira, no caso...
-Eu acho muita coisa, mas vai saber...

Se despediram e, no caminho de casa, cada uma chegou à conclusão de que Graham Bell até teve uma ótima idéia ao criar o telefone.

O que ele não poderia adivinhar era que sua invenção ia ser ao mesmo tempo solução e problema pra falta de comunicação da humanidade.

Porque, afinal de contas, esse negocio de se relacionar é saber dar e esperar telefonemas.

Não necessariamente nessa ordem.

9 comentários:

Fábio Ricardo disse...

Bela conclusão. Relacionamentos deviam ser mais fáceis antes, acredito eu. Hoje eles estão bem mais complicados. E telefone é o de menos... orkut é ainda pior.

Juju disse...

Graham Bell não imaginou que existiria carinhas com dificuldades de usar o seu aparelhinho rsrsrsrsrsrssss

alvarêz dewïzqe disse...

Trocar mensagem de celular é o cúmulo da falta de compromisso mesmo, da até pra mandar uma mesma mensagem pra várias e esperar a melhor resposta, ou a que responder primeiro.

Jujuba disse...

amei a definição de relacionamentos!

Fab Trinca disse...

poliana paiva ilustrando a vida com razão. vai vendo!.

Rodrigo Carreiro disse...

Eu adoro me comunicar por mensagens ehehehhe

Srta. Rosa disse...

Eu odeio SMS. Nos dois sentidos, mensagenzinha de celular e também Segurança Meio ambiente e Saúde; rs.
Suerte, anyway. Só não esqueça que above all of us is Murphy. Simpre.

Bezzos!

Rackel disse...

Eu já não gostava mto dessa de sms, mas depois de ler o alvarêz aqui em cima, passei a gostar ainda menos!
rs

Andre Felippe disse...

Boa,Poli!!Como sempre,fechando os textos com maestria...É,se com o telefone já era complicado,agora com SMSs,MSNs e ORKUTs...

PS:q cara é esse q pede pra mulher escolher o programa e,ainda por cima,sugerir filme??!!?? Só na ficção msm...Duvido q um indeciso assim consiga mulheres.São caras assim q prestam um desserviço à reputação masculina q eu e meus amigos tanto nos empenhamos em salvar.Sem mais.