domingo, 28 de setembro de 2008

Quinta-feira santa

Acordou submissa em plena quinta feira.

Lavou os cabelos e, já que estava debaixo d’água, aproveitou pra depilar a virilha.

Pegou o jornal, mas percebeu que estava sem paciência pra desgraça.

Pensou em ligar pra alguém, mas achou melhor deixar o telefone fora da jogada.

Quando já estava se acostumando ao tédio de seu interminável dia de trabalho, foi avisada que podia ir pra casa mais cedo.

Chegando em casa mais cedo, fez uma macarronada pra dois.

Como não apareceu ninguém, jantou só.

Já que jantou só, dispensou a sobremesa.

Sem companhia, resolveu cuidar da pele.

Passou hipoglós no rosto e desistiu de todo o resto.

Uma pena, pois em dias como esses, poderia facilmente ser dominada.

Mas todo mundo sabe que a todo tempo acontecem casos assim, de submissão em vão...

Foi dormir.

Quem sabe sexta não seria seu dia de sorte?

9 comentários:

fabioricardo disse...

esse dias cinzas, que passam em branco, são os piores. que seja quente ou que seja frio, mas o morno é apático, cansa. Pior que não ter para quem cozinhar, é cozinhar para dois e comer sozinha.

maequetepariu disse...

meu jantar é pra três, o lance é sair das combinações pares...

Anônimo disse...

vc conseguiu transcrever um dia tedioso de uma mulher solitaria de uma maneira sutil e perfeita...

e hipoglos é perfeito para olheiras :)

P.R. disse...

dias de preguiça... como são comuns para mim.

gigi disse...

ah, poli, sempre tão linda...
hipoglós nas olheiras, é?

Paulo Bono disse...

genial, garota.

Rodrigo Carreiro disse...

A solidão pode ser boa, sim.

Marcela Bertoletti disse...

Querida amo seus textos!
Quero mais! Post outro ai!
Beijos

Marcelo Perez disse...

Queria esbarrar contigo numa quinta submissa...
Adorei seus textos. Parece até que foi ontem... Saudades.

Beijaço!


www.sextascronicas2008.blogspot.com