domingo, 26 de abril de 2009

Em algum lugar do passado

-Como assim não lembra?
-Não lembrando, amiga...
-Fala sério!
-Tô falando!
-Vamos recapitular: quando eu saí do bar, você tava contando aquela história clássica do encontro nacional de estudantes de comunicação.
-Vixe...
-Disso você lembra, né?
-Nada.
-Hahahahahaha.
-Eu contei a história toda, foi?
-Aham.
-Ai, ai...
-Mas super no salto, não tava dando a menor pinta de Heleninha...
-Tá, mas já tava dando sinais de que sou permissiva depois de uns drinques...
-Isso sim, mas quem não é?
-...
-Vejamos o lado bom da coisa: a permissividade no caso em questão foi produtiva, né?
-Sim, fato. Mas a pergunta que não quer calar permanece: será que eu dei pro Johnny?
-Isso é mole de descobrir, vai.
-Então me ajuda, fazendo o favor!
-Quando você acordou, sua calcinha tava onde?
-No banheiro, pendurada no box.
-Molhada ou seca?
-Molhada.
-Hummm...
-Não prova nada, né?
-Não, porque pode ser coisa de bebum, que quis tomar banho e lavar a calcinha, só pra mostrar que é limpinha.
-Pois é...
-Tava ardida de manhã?
-Tava.
-Melada?
-Um pouco.
-Então, filha...
-Se a língua e os dedos dele não fossem tão ferozes, não haveria dúvidas...
-Ué, da língua e dos dedos você lembra?
-Então, lá no bar mesmo, ele foi atrás de mim no banheiro e o bicho pegou...
-Gente...
-E o pior é que não rola de perguntar esse tipo de coisa pro bofe, né?
-Nunca, jamais, em tempo algum! Mas olha, na boa, se tivesse rolado, você se lembraria. Essas coisas marcam e você sabe disso!
-Sim, mas também sei que com o Felipe já rolou de dar e não lembrar de nada no dia seguinte, a ponto dele ficar puto pra caralho!
-Jura?
-Cara, se isso te satisfaz, eu juro...
-Jesus! Nunca vi disso na minha vida!
-Menos, amiga!
-Tô falando sério. Pra mim é impossível dar e não lembrar, porque buceta tem memória.
-Se tivesse mesmo, tu já teria parado de dar pro Carlos há séculos, vai!
-Hahahahahahahaha. Que maldade!
-Maldade?
-É. Coitado do Carlos, ele não é tão mau assim...
-Ô...
-Mas vamos ao que interessa: ao acordar, você deu uma busca em volta da cama?
-Sim!
-Achou alguma camisinha?
-Não!
-Sinal de que não rolou nada então, afinal, o Johnny é um cara responsável...
-A responsabilidade é inversamente proporcional ao número de taças, amiga!
-Isso é! E champagne é foda...
-Ô!
-Tá, vamos nos concentrar: quando você acordou, ele tava na cama ainda?
-Não, tava preparando um café.
-Trouxe pra você na cama?
-Trouxe.
-Tinha ovos mexidos?
-Que pergunta...
-Tinha ou não tinha?
-Sim, tinha, com bacon.
-Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
-Ah o quê?
-Rolou, filha!
-Como você pode ter tanta certeza?
-Vou reconstruir a história, tá bem?
-Tá!
-Ele acordou mais cedo e, como cavalheiro que é, recolheu as camisinhas ao redor da cama, pra quando você acordasse não pisasse em nenhuma...
-E?
-E, por ter conseguido te comer, coisa que vem tentando há anos, achou melhor preparar um cafezão da manhã, pra causar boa impressão e criar mais intimidade.
-E o que os ovos mexidos têm a ver com isso?
-Ovos mexidos são claro sinal de fome pós-coito. É intuitivo: quem trepa, curte ovos mexidos.
-Você ta de ácido, querida!
-Tô nada, aprendi isso na faculdade, na aula de nutrição defensiva: a ingestão de ovos repõe a albumina, proteína tipicamente consumida pelos atletas. E todas sabemos que uma boa trepada equivale a uma maratona, certo?
-Hahahahahahahahahaha.
-Acho que agora só resta uma coisa a ser feita.
-O quê?
-Tomar a pílula do dia seguinte.
-Essa porra faz muito mal.
-Mas a porra que você pode ter posto pra dentro vai fazer muuuuito mais mal, certo?

Na dúvida, tomou a pílula, o que não a impediu de ficar a semana toda tentando lembrar se tinha ou não trepado com o rapaz. Ficaria meses nessa, mas o moço era do tipo que sabia usar o telefone e acabaram marcando de sair novamente. Por precaução, não houve álcool.

Na manhã seguinte, foi fazer xixi e, para tanto, teve que desviar de quatro camisinhas. E, já que passaram a manhã toda na cama, pularam a parte dos ovos mexidos e foram direto pro almoço, com direito à rapidinha de sobremesa.

Sem conseguir chegar a nenhuma conclusão, saiu de noite da casa do bofe com a certeza de que nunca encontraria provas cabais que indicassem ter sido aquela a primeira ou a segunda noite de sexo do casal.

Mas, como vaca que se preza, desistiu de tentar lembrar o que passou e resolveu começar a criar memórias, para ter o que contar pros netos dali a muitos anos.

Porque, enquanto o futuro a Deus pertence, o passado é terra de ninguém, que qualquer um pode, a qualquer tempo, embrulhar pra presente.

7 comentários:

M. disse...

Amnésia sexual é bastante confuso mesmo.
Dá vontade de ri da situação e de chorar tb.
E a história do ovo eu já vi na marie claire.

rs

Juju disse...

" ingestão de ovos repõe a albumina, proteína tipicamente consumida pelos atletas. " Meu Deuus, de onde tirou isso, bela?

Mas é bom mesmo! hahahahahah

Fábio Ricardo disse...

nao lembrar se deu ou nao eh cabreiro. nada fino. mas q ovos mexidos têm conotação altamente sexual, isso tem.

Marcela Bê disse...

Amei!!!
Ri demais! Pelas camisinhas espalhadas na segunda noite, acho que não rolou nada de primeira não.
Adorei!!!

renata disse...

buceta tem memória? hahaha, como tem!!!!

Haroldo Mourão disse...

Eu tinha um comentário a fazer, mas esqueci...

Paulo Bono disse...

Nesse caso, então, buceta também tem amnésia?

abração, paiva