sexta-feira, 1 de maio de 2009

Dicas práticas para não queimar o filme com as gatinhas parte 2 (ou molhadinhas, agradecemos)

Existe limite pra tudo e sabemos o quanto é difícil enxergá-lo, principalmente quando estamos sensíveis, apaixonados, bêbados, inseguros, cheios de tesão, tristes ou tudo isso junto. Assim sendo, para garantir o teor didático deste blog, segue mais uma lista de dicas práticas para evitar que vocês, bons moços de plantão, sejam excluídos de vez da vida das gatinhas que lhes fazem gemer sem sentir dor.

Capítulo primeiro: da tentativa de vencer pelo cansaço

-Vai ficar calada?
-O que você quer que eu diga, baby?
-Bem, se não quiser dizer nada, não diga.
-É que eu não gosto de me repetir, entende?
-Sim, sim, entendo perfeitamente.
-Que bom!
-Só acho que você exagera quando diz que eu não sou gentil contigo...
-O que pra você é exagero, pra mim é básico, como já te disse umas trinta vezes: gosto de homem que me convida pra sair, que queira fazer algo além de trepar e, principalmente, que não deixe claro a todo instante que não curte ser visto comigo em público!
-Poxa, o fato deu não querer pagar de namoradinho não significa que eu não goste de você.
-Ok, computer.
-O quê?
-Nada, baby, agora tenho que ir, tá? Outra hora a gente conversa.

Dica prática: se não tem por hábito valorizar a dama cuja bucetinha você não consegue esquecer de jeito nenhum, tente pensar nela como uma mulher por inteiro, portadora de opinião. Caso não consiga, deixe ela pra lá, pois fazê-la repetir muitas vezes a mesma explicação é o mesmo que lhe esfregar nas entranhas um poderosíssimo adstringente vaginal.

Capítulo segundo: do desespero

-Até que enfim! Achei que não ia retornar minhas ligações nunca mais!
-Meu celular quebrou, lembra?
-Sim, lembro, mas não dava nem pra pedir um telefone emprestado e me ligar a cobrar?
-Eu tava meio ocupada pra isso, querido...
-Pô, mas em quatro dias você podia ter dado um jeito de entrar em contato, não?
-Podia, sim, se você não tivesse sido avisado de que eu estava viajando...
-...
-Bem, eu tenho a consciência tranquila de que não fiz nada de mais.
-Ah, agora vem falar de consciência?
-Venho, sim!
-Legal isso, legal mesmo!
-Deixa eu te falar uma coisa: a gente ficou quatro vezes, foi super legal, você é gentil, atencioso, gostoso, interessante, mas achei um pouco demais de sua parte deixar dois recados desaforados na secretária do meu celular quebrado enquanto eu viajava a trabalho! Você sabia que eu ia voltar hoje, não tinha por que essa sangria desatada!
-Ah, agora eu sou o desesperado e você é a princesa?
-Passo o posto de princesa, que não faz meu gênero, mas confesso que fiquei bem passada.
-Você acha que eu tô desesperado e que vou grudar no seu pé, né? Pode falar!
-Veja bem, quem está usando a palavra ‘desesperado’ é você...
-...
-Sinceramente, acho que talvez seja melhor você procurar uma menina que esteja numa sintonia parecida com a sua.
-O papo da sintonia é pra me dispensar, certo?
-É pra te deixar livre pra encontrar alguém que curta essa marcação cerrada.
-Beleza, então! Só te digo uma coisa: você não sabe o que tá perdendo.
-Sei, sim. Acho inclusive uma pena isso ter acontecido, mas, enfim, é a vida...

Dica prática: se está começando a sair com a menina e o sexo está fluindo bem, observe se de fato ela te deu motivos para perder as estribeiras. Se não deu, fique frio e aja com cautela. Sinais de desconfiança extrema fazem com que a dama fique com medo de você ser um cara possessivo demais.

Capítulo terceiro: do impedimento

-Mô, tô pensando em fazer uma lasanha de berinjela pra gente nesse final de semana.
-Ih, gatinha, esse final de semana tem campeonato de playstation na casa do Romano...
-Mas o fim de semana todo?
-Pior é que é.
-Nossa, que radical!
-Pô, tá marcado há mó tempão...
-Tá bem, então a gente faz na quarta, que eu não tenho aula à noite. Eu trago um vinhozinho e tudo...
-Pô, gatinha, quarta é a final do campeonato carioca, vou no Maraca.
-Mas essa final não foi no domingo passado?
-Não, no domingo passado foi a final da Libertadores.
-Ah tá...
-Mas a gente pode fazer essa lasanha na segunda.
-Segunda não dá, que tal terça?
-Terça tem a pelada mensal na Lagoa, não pode mesmo ser na segunda?
-Na segunda eu teria que matar aula de Análise do Discurso.
-Pô, mas essa matéria é mole, você só tirou dez até agora.
-A questão não é a matéria ser mole ou não. É uma aula que eu gosto de ir por conta das discussões...
-Você gosta é do professor bonitão, que eu vi seu jeito naquele dia que fui te buscar.
-Agora vai querer meter essa?
-Quem tá querendo meter é ele, que eu saquei a marra do cara na hora.
-Fala sério!
-Tô falando, porra! O sujeito usa o charme de professor pra conquistar as menininhas. Fato!
-Vamos fazer o seguinte: você joga todo o playstation que houver nessa vida, todas as peladas das quadras da Lagoa e completa o pacote assistindo a qualquer jogo de futebol que esteja agendado em território nacional!
-Ihhhhh...
-Ó, ouvi falar que tem decisão da categoria sub-20 esses dias, se não me engano é algo tipo XV de Jaú contra XV de Piracicaba...
-Tsc.
-Pô, jogão! Vai perder?
-...
-Daí, quando você tiver um tempo na agenda, me liga, e, se eu não estiver no meio da aula, analisando o discurso ou a mensagem subliminar de algum professor bonitão, quem sabe eu venha a te atender...
-Tenho medo de ameaça não, gatinha...
-Pois devia!

Dica prática: se a moça tem um professor sedutor e você já sacou o clima entre eles, não sugira a lasanha justo pro dia da aula do cara, ainda mais se sua sugestão tiver sido motivada pela falta de tempo em virtude de pelada, playstation ou final de campeonato. Tudo isso só faz você parecer cada vez mais infantilizado em comparação ao bonitão caga-regra. Até ela sacar que ele é uma farsa, você já vai ter perdido a dama. Na dúvida, é melhor não arriscar.

Capítulo quarto: do choque de ordem

-Você vai com essa blusa mesmo?
-Vou.
-Meio decotada demais, não?
-Sim, mas é linda. E, se não me engano, foi você que me deu, lembra?
-Fui eu, sim, mas quando ainda não era seu namorado...
-Já sei: você tá querendo arrumar uma briguinha pra dar aquela trepada reconciliadora antes da festa, né?
-Não.
-Para de brincadeira, então, gatinho.
-Quem dera eu tivesse brincando...
-Hahahahahahahahahahaha.
-Eu tô falando sério, princesa.
-Você está querendo me dizer que enquanto não éramos namorados, eu podia andar com o decote que fosse, que isso não era problema seu, certo? Mas que agora, como sua gatinha, preciso me vestir de forma discreta, pois você não quer que seus amigos se sintam atraídos pela gostosa de plantão aqui, é isso?
-Não é que eu não confie em você. Eu não confio é neles!
-Ahhhhh...Agora tá tudo explicado!
-Não fica putinha, vai, boneca!
-Boneca é o que você vai ter que arrumar se eu tiver que trocar de blusa! Só que vai ser dessas infláveis, com a boca abertona!
-Ei, calma!
-Calma? Tá achando agora que vai me dizer o que vestir?
-Você tá ficando descontrolada!
-Olha, descontrolada ou não, eu tô pronta pra sair. Agora se essa discussão idiota continuar, dá tempo deu trocar essa calça por uma mini-saia, que tal?

Dica prática: se você não é Christian Dior nem Yves Saint-Laurent, evite se meter no modelito da namorada, já que, afinal de contas, quando você a conheceu, provavelmente ela já se vestia assim. Respire fundo e pense que o que faz uma dama não é o modelito e sim a postura. Se conseguir se acalmar, provavelmente seus amigos vão morrer de inveja por conta da potranca super caidinha por você. Porém, se não for esse o caso (e a situação lhe parecer para lá de insuportável), há sempre a opção de sair sozinho.

Por hoje é só, meninos.

Espero ter ajudado.

Cabe ressaltar que os casos acima narrados, infelizmente, são baseados em fatos reais.

Portanto, não engrossem o volume dessa triste estatística.

Reajam!

Posso adiantar que nós, molhadinhas, agradecemos...

10 comentários:

Fábio Ricardo disse...

dicas úteis, sem dúvidas. Afinal, qualquer dica que as deixa molhadinhas e agradecidas é uma boa dica.

renata disse...

ainda bem q tem tu aí se dispondo a dar dicas pra garotada....aff....no aguardo da parte 3...rs...

Haroldo Mourão disse...

Campeonato de Playstation?! Menor de idade não vale, né?

M. disse...

dicas práticas devia ter checklist do lado pro pessoal marcar sempre antes de fazer bobagem.

e lasanha de beringela é muito namorado.

ah... e lembrando:
"A diferença entre o homem e o menino é o preço do briquedo."

Graciana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Graciana disse...

Muito bom! Aguardo a terceira parte.

pablo disse...

Caramba... se essas dicas são baseadas em fatos reais, então o jogo ta duro mesmo pras mulheres, só deve ter mané e moleque disponível na praça.

Pelo menos deve ser divertido pra vocês fazer chacota da situação porque o tipo otário descrito provavelmente não tem como melhorar muito como homem não...

Melhor deixar as dicas pra lá, afinal o cara pra trocar um jantar - ainda mais se tiver a chance da sobremesa ser a própria cheff ;) - pelo campeonato de playstation com os amigos punheteiros é porque já tá querendo vazar mesmo.

Graciana disse...

É Pablo, tem muito mané e otário mesmo. O pior é que ás vezes andam disfarçados...

M. disse...

os diesfarçados são os piores.

Daniel Braga disse...

tanta coisa boa pra fazer... e vai ficar jogando playstation?!