quarta-feira, 17 de junho de 2009

Os que gostam e os que veneram

-Oi, demorei muito?
-Nada, pequena, cheguei tem dez minutinhos. E aí, tudo bem?
-Tudo.
-Pedi um carpaccio pra gente, tá?
-Tá.
-Quer um chopp também?
-Agora não.
-Se quiser pedir, pode deixar que eu não conto pra sua mãe.
-Nada, dinda, ela sabe que quando saio com você às vezes tomo uns drinques.
-Ok.
-Ó, adorei o presente.
-Curtiu mesmo? Porque pode trocar, sabe que não fico ofendida.
-Sim, mas amei! Nunca tive uma blusa com strass na vida.
-Tava na hora já!
-Só não sei onde vou ter chance de usar uma coisa chic daquela.
-Quando surgir uma oportunidade, você vai saber.
-Tá.
-Roupa chic é assim: melhor ter.
-Que nem aquele vestido que você usou nos meus 15 anos, né?
-Exatamente!
-Vem cá, mamãe disse que você tinha uma coisa pra falar comigo.
-Disse, é?
-Aham.
-Certo. Vou ser bem direta, tá?
-Tá.
-Seguinte, agora que você já é uma universitária, precisa saber uma coisa sobre os homens.
-Ai, fala sério!
-Calma, garota!
-Tsc...
-Vou resumir, tá?
-Por favor!
-Vamos lá! Apesar de todas as especificidades presentes no universo masculino, que vão desde classe social até caráter e bondade no coração, podemos classificar os homens em dois tipos: os que gostam de buceta e os que veneram.
-Ah, dinda, olha a zuação...
-Tô falando sério!
-Tá, na teoria isso é lindo, mas como vou saber a diferença entre um e outro na vida real? Vou chegar pro bofinho e perguntar: vem cá, amigo, você gosta ou venera?
-Hahahahahahahahahaha!
-Ri não!
-Desculpa, é que sua pergunta foi ótima. Vamos lá: homens que apenas gostam de buceta não costumam ter paciência pro resto da mulher, sabe assim?
-Hummmm, tipo o namorado da tia Vanda?
-Por que você acha que ele se encaixa nessa categoria?
-Porque ele não admira ela, não faz questão de ser gentil, marca de sair e some, não liga, viaja sem avisar, essas coisas.
-Que mais?
-Precisa de mais?
-Não, só se você se lembrar de algo.
-Hummmm...Ah! Sempre que ela ameaça abandoná-lo, ele vira o melhor amante do mundo.
-E o que diferencia ele de um cara que venera buceta?
-Acho que o cara que venera não precisaria de ameaça pra ser o melhor amante do mundo, né?
-Isso mesmo!
-Mas, dinda, a maioria dos homens é que nem o namorado da tia Vanda, não?
-Não!
-Não?
-Aí é que tá! Assim como existem dois tipos de homem, existem dois tipos de mulher.
-As que aceitam esse tratamento e as que não aceitam, né?
-Isso. E eu adoraria que você fosse do segundo tipo.
-Eu acho que sou, sabia?
-Também acho que você é.
-Eu tenho uma pena danada da tia Vanda...
-Pois não devia, cada um sabe de si.
-Mas ela podia ter dado um pé na bunda desse mané há muito tempo, concorda?
-Concordo, ela é livre pra fazer o que quiser, não depende dele pra nada.
-Não entendo o que se passa...
-É que ela acredita que ele vai mudar.
-E isso não deixa de ser uma espécie de dependência, né?
-Pior! Isso é achar que qualquer abajurzinho de cabeceira vai fazer sumir o medo do escuro.
-Afff!
-Por isso, boneca, queria pedir pra você vir falar comigo sempre que tiver alguma dúvida sobre em que categoria encaixar um rapaz, combinado?
-Combinado!
-Vai um chopp agora?
-Pode ser um uísque?
-Hoje pode.

E assim, sem maiores delongas, deram um importante passo rumo ao entendimento da difícil tarefa de existir num mundo em que ser livre virou passagem só de ida pra maior e mais covarde de todas as prisões, sem direito a visita íntima nem a cela especial.

Pra sair dela, só mesmo perdendo o medo do escuro.

Porque almas costumam se comunicar melhor em braile.

8 comentários:

M. disse...

apesar de achar que exsitem varios tipos de homem ... dividir assim já é um grande avanço.

e sim concordo tanto que nem sei.

e sim alams falam muito melhor em outros codigos sem letras.

gigi disse...

ai, quero uma dinda assim!!

l'ondine disse...

- tia vanda tá por fora.
- mas tem homens que gostam e veneram. depende da fase.
- aaah, almas! comunicação em braile ou lingua dos sinais. já dizia o pequeno principe, nos idos das nossas infâncias q só se vê bem com o coração.

Juju disse...

"Ai bofe, vc gosta ou venera?"

com o tempo ela aprende no olhar...

Ai como eu queria ter tido uma dinda como essa!

Juju disse...

Mañhana, classificar os bofes em duas "catigurias" foi um grande avanço para a humanidade feminina! Considero esse texto um marco histórico!!!

Poli, pq vc nunca me falou isso antes? Teria facilitado, bela...
=)

Fábio Ricardo disse...

taí... eu concordo.
mas posso dizer q nem toda mulher gosta dos que veneram. elas querem q ele venere soh de vez em qdo.

Cecília M. disse...

Oi, gostei muito das coisas que vc escreve. De fato, as vezes a gente se contenta com um abajour capenga por causa do medo do escuro.
É porque tem vezes que o escuro é tranquilo, mas quando ele dá pra querer assustar, ai ai...é muito ruim!

Eugenia disse...

amiga... se todas as mulheres soubesse disso... olha... seria a revolução.
um beijo! parabéns!