quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Sistema digestivo


Houve um tempo

Em que o mundo apenas havia

Como se só importasse o que existisse

Não o que carcomia

Agora

(Com os novos ventos)

Feito devotos sem romaria

Comemos dias

Cuspimos caretices

Vomitamos monotonias

E pra não perder o hábito

Nem abdicar da tirania

Lamentamos o perecível

E a morte da alegria

Como escravos do risível

Vestidos de rebeldia

Numa saga invisível

Sem gosto

Colosso

Nem fidalguia

3 comentários:

rodrigo de roure disse...

bom, bom, bom! muito bom, piriquita! :P

joaquim pedro disse...

aê piriquita! bonito

Paty disse...

olá! amei o escrito! parabéns! descobri o blog atravésde uma postagem de uma amiga no facebook... vou indicar tbém, ok? abraço!